Autocolantes na fruta – para que vos quero?

Já reparou que a fruta vem muitas vezes com um autocolante em cada peça? E sabe o que é que significa esse autocolante.? Se se preocupa com o impacto ambiental do uso de autocolantes, certamente já deu por si a pensar que é algo inútil e desnecessário, até porque é colado em frutas que se podem comer com casca.
No entanto, o uso desse autocolante tem  informação específica e importante, que nos permite saber a origem dessa fruta. Afinal, quais as razões para a existência desse autocolante? 
- Permite ao funcionário do hipermercado identificar a fruta e sua proveniência o que o irá ajudar a colocar no local correto quando uma peça de fruta é deslocada pelo consumidor.
- Dá a conhecer ao consumidor, a forma como a fruta foi cultivada, quando apresenta um número, designado por código PLU (Price Look Up). Existem 3 tipos de códigos  e números usados, que indicam se a fruta cresceu segundo métodos convencionais, de forma biológica ou se foi geneticamente modificada.
– Se o número tiver 4 digitos, como 4130, é porque se trata de fruta cultivada da forma mais convencional, com recurso a pesticidas;
– Quando apresenta 5 digitos e começa por 8, como 82221, significa que a fruta foi modificada geneticamente.
– Já se começar com o algarismo 9 como 94011, a fruta foi cultivada em modo biológico.
Estes códigos são utilizados a nível internacional desde 1990, para produtos frescos, em particular fruta e legumes. A entidade que controla os códigos PLU é a International Federation for Produce Standards (IFPS) e é de referir, que a utilização dos códigos PLU é facultativa.
No que concerne à comestibilidade do autocolante da fruta, existem normas que garantem que quer a cola, quer o papel sejam digeríveis. Contudo, sempre que possível retire o mesmo. Prevê-se em breve que os autocolantes venham ser substituídos por uma gravação a laser, resultante de recomendações aprovadas pela União Europeia desde Junho de 2013.
Assim sendo, da próxima vez que adquirir fruta, se sentir curiosidade, olhe para o código que apresenta e confirme o seu modo de cultivo. Se estiver a optar por seguir uma alimentação biológica, recomenda-se que o faça para confirmar de que forma o alimento foi cultivado.

Sopa de ervilhas e alho francês com germinados

Tempo de preparação: 45 minutos
Para 4 pessoas

Ingredientes:
400g de ervilhas frescas ou congeladas
2 alhos franceses
1 cebola
1 mão cheia de rebentos de ervilhas germinadas
Azeite q.b
Sal marinho q.b

Preparação:
Num tacho, coloque as ervilhas, a cebola e os alhos franceses cortados em rodelas. Cubra com água, tempere com sal e tape. Cozinhe em lume médio durante 30 minutos.
Reduza a sopa a puré e sirva polvilhada com as ervilhas germinadas e um fio de azeite.
Nota: imagem retirada daqui.

Como germinar sementes?


O processo de germinação é bastante fácil. Precisa de sementes de boa qualidade, algum tempo e um germinador.
Eis o processo de uma forma genérica:
    Deixar as sementes de molho em água mineral durante cerca de 10 horas e remover os que se encontram partidos.
    Lavar bem as sementes com água e colocá-las num germinador. Se usar um germinador de prateleiras, assegure-se que ficam uniformemente distribuídas.
    Regar as sementes 2 a 3 vezes por dia até que termine o processo de germinação (variável de semente para semente, mas em média 4 a 10 dias).
Os alimentos germinados podem ser conservados no frigorífico alguns dias. Antes de os consumir, lave os rebentos, do mesmo modo que lava os vegetais.

Já ouviu falar sobre alimentos germinados?

Os alimentos germinados, ou rebentos, são os grãos, as sementes e as leguminosas que deram inicio ao processo de criação de uma nova planta. Os alimentos germinados são considerados alimentos bioactivos (activam a vida) e constituem praticamente os únicos alimentos que chegam aos nossos pratos com o seu potencial vital totalmente inalterado e mesmo aumentado exponencialmente.
Independentemente do que germina, pode ver multiplicado o seu teor de minerais ou vitaminas em cerca de 20 vezes. Destaca-se que os alimentos germinados constituem uma das raras fontes vegetais de vitamina B12, e por isso assumem grande importância no que diz respeito à alimentação dos vegetarianos. A sua riqueza em enzimas, clorofila, aminoácidos, vitaminas, minerais e oligoelementos permite contribuir para uma boa saúde. Estes alimentos facilitam reacções metabólicas, bem como a regeneração celular e ainda estimulam o aumento das defesas do organismo.
A escolha das sementes a germinar é fundamental. Opte por pelas opções que sejam biológicas (livres de inseticidas e fertilizantes químicos) e frescos.
Os germinados além de serem excepcionalmente nutritivos são um elemento muito decorativo em saladas e pratos cozinhados.

Sabia que a casca da fruta...

A casca da fruta e a pele dos frutos gordos (ex: amêndoas e avelãs) são as mais ricas em fibras, vitaminas e fitoquímicos antioxidantes. Para tirar o máximo partido das mesmas e evitar componentes nocivos, opte por fruta biológica, bem lavada.
No caso dos frutos gordos, antes de os ingerir, opte previamente por demolhá-los. Rejeite a água de demolhe e seque bem os frutos gordos.
Imagem retirada daqui.

Novidades ...

Partilho convosco o "nascimento" da página Nutri Super Health.
Poderão visitar a mesma acendendo a www.nutrisuperhealth.com
Todas as opiniões poderão ser partilhadas por e-mail ou facebook
Este projeto já estava planeado há algum tempo e eis que se encontra disponível :)
Agradece-se a colaboração de todos que se envolveram na construção desta página. Um agradecimento especial ao excelente fotógrafo Joaquil Fial Fotografia e sua equipa, que me acompanhou nesta aventura.
O blog Nutri Super Health continuará ativo, com publicações sempre que possível.

Gelado vegetal de banana e manga

Ingredientes:
Para o gelado (1 taça)
2 bananas bem maduras, congeladas
1 manga bem madura, congelada

Sugestões de toppings:
amêndoa torrada laminada; coco ralado; pepitas de cacau cru; canela

Preparação:
Previamente à preparação do gelado terá que congelar bananas e manga, pelo menos durante 12 horas.
Coloque as bananas e a manga no processador de alimentos e triture (aumentar gradualmente a velocidade até triturar). Vá raspando as laterais do processador de alimentos de forma a que o gelado fique com uma textura homogénea.
Continue até obter um creme gelado.
Pode colocar os toppings que pretender por cima.
Comer de imediato.

Dicas:
- A fruta deve estar bem congelada e madura, para obter uma consistência cremosa e doce.
- A banana deve estar cheia de pintas pretas na casca antes de congelar.
- Dependendo do aparelho que use para triturar a fruta, vai depender o tempo até obter a consistência cremosa do gelado.
- É recomendável comer na hora. Pode congelar o gelado, contudo quando for a comer não ficará com a consistência tão aveludada, devido à formação de cristais de gelo, resultantes de uma congelação caseira.
Nota: imagem retirada daqui.

Gelados vegetais

Sabia que existem gelados feitos exclusivamente à base de ingredientes vegetais?
Para quem não pode ingerir laticínios, para quem é vegan, ou simplesmente para quem pretende experimentar uma opção diferente, existem os gelados vegetais. Hoje em dia já consegue comprar estas opções em lojas especializadas ou fazer em casa. Fique atento, pois em breve será partilhada uma receita, caso queira fazer em casa.
Nota: imagem retirada daqui.

Gelado de mirtilos

Por vezes sou questionada em consulta sob como fazer uma sobremesa diferente e saudável para os mais pequeninos.
Aqui fica uma sugestão interessante:

Ingredientes:
·  250 g de mirtilos ou outros frutos silvestres do seu agrado
·  100 ml de iogurte natural
·  1 colher de chá de mel

Preparação:
Coloque os frutos vermelhos escolhidos bem maduros, o iogurte natural e 1 colher de chá de mel num liquidificador ou processador de alimentos.
Divida o preparado em formas de gelados, e vá alternando com camadas de iogurte simples e coloque no congelador durante pelo menos 4 horas ou até ficar sólido.

Nota: imagem retirada daqui.

Granola à Nutri

Faz 2 litros

Ingredientes:
500 g de flocos de aveia
1 chávena de coco ralado
1/2 chávena de amêndoas laminadas
1/2 chávena de sementes de sésamo
1/4 chávena de sementes de girassol
1/4 chávena de sementes de chia
1/4 chávena de sementes de abóbora
1/4 chávena de bagas godji
1/4 chávena de castanha do maranhão/pará/brazil
1/2 chávena de gérmen de trigo
1/2 colher de chá de flor de sal
1/2 chávena de óleo de coco
1/2 chávena de mel
1/3 chávena de água mineral natural
1 1/2 colher de chá de essência de baunilha

Preparação:
Aqueça o forno previamente a 140ºC.
Numa tigela grande misture a aveia, o coco, as amêndoas, as sementes, o gérmen de trigo, as castanhas do maranhão e as bagas godji.
Numa tigela pequena misture o óleo de coco aquecido ligeiramente (para ficar líquido), o mel, a água e a baunilha. Junte esta mistura à de aveia e incorpore bem.
Espalhe a granola numa assadeira grande. Leve ao forno por uma hora e meia ou até ficar dourada.
Misture a primeira vez passados 10 minutos de estar no forno, depois a cada 30 minutos.
Quando retirar do forno, deixe arrefecer por completo antes de guardar num recipiente bem fechado.
Sugestão de utilização: sirva com fruta da época cortada e iogurte natural.